• Aquários Sobrinho

Os Perigosos Vermes de Fogo

Os vermes de fogo, também conhecidos como fireworms ou bristleworms, são invertebrados marinhos presentes em quase todos os oceanos (com exceção dos oceanos ártico e antártico) e também em boa parte dos aquários marinhos do mundo.

Os vermes de fogo possuem esse nome devido às várias cerdas urticantes cheias de venenos que se encontram espalhadas por todo o seu corpo e aparentam queimar quando machucam alguém.


Existem 4 gêneros de verme de fogo pelo mundo que são Hermodice, Eurythoe, Chloeia e Amphinome cada um com suas espécies e TODAS elas são predadoras vorazes, como também são detritívoros. Essa faculdade de poder ser predador e “limpador” é o que faz acontecer muitos acidentes no aquário.


Não existe verme de fogo seguro para um aquário com corais ou invertebrados!


A dieta dos vermes de fogo, além de restos de animais como peixes e camarões, incluem ouriços, estrelas-do-mar, corais moles, corais duros, zoanthus, anêmonas, tridacnas, peixes, algas e outros invertebrados. Os vermes de fogo comem quase tudo que podem alcançar.

As imagens abaixo mostram uma espécie de verme de fogo comum no litoral brasileiro, a Hermodice Carunculata, se alimentando de corais, zoanthus e anêmonas. Essas imagens foram retiradas da tese de pós graduação do Hilquias Andrade pela UFPE [2].


Se você possui alguns desses animais no seu aquário e possui também vermes de fogo, você está em risco constante de acontecer algo ruim

.

Leia aqui o nosso texto sobre como lidar com o risco no aquarismo!


O vídeo abaixo mostra um grupo de vermes de fogo atacando um ofiuróide!

As imagens abaixo mostram vermes de fogo na natureza se alimentando de corais e animais diversos e até bem maiores que eles!


Como se não fosse o bastante, os vermes de fogo possuem o hábito de cavar por entre rochas, esponjas, conchas e corais em busca de alimento ou abrigo. Esse hábito costuma causar estragos invisíveis e só é percebido pelo aquarista quando já é tarde demais e o coral já está bem danificado.


Quando ajudávamos na exportação de rocha viva nós víamos muitas tocas de vermes de fogo no interior das rochas quando elas eram partidas. Eles cavavam um caminho do tamanho exato do seu corpo como um túnel de minhoca e se abrigavam ali. Existe muito pouca literatura sobre o assunto, sendo uma das poucas que encontramos essa na referência [1].


Perigo dos vermes de fogo no aquário


Além do que já falamos sobre os vermes de fogo se alimentarem de uma vasta de animais que mantemos nos aquários, os vermes de fogo ainda podem causar ferimentos nos peixes e outro animais além de causar ferimentos no aquarista.


Diferente do que muita gente pensa, os vermes de fogo não liberam suas cerdas urticantes apenas quando tocam nele, elas podem liberar suas cerdas ao mínimo sinal de estresse e elas podem ficar na água ou nas rochas do aquário, causando ferimentos nos aquaristas e nos peixes que os tocarem.


Se algum peixe passar perto de um verme de fogo mesmos em intenção de machuca-lo ou em uma rocha que o verme de fogo deixou suas cerdas, ele pode sair machucado. Devido ao veneno das cerdas o ferimento pode infeccionar e causar problemas secundários graves como bactérias patogênicas oportunistas mesmo que o peixe não seja vulnerável à toxina do verme de fogo.

Pessoas alérgicas podem sofrer complicações sérias e necessitar de assistência médica.


Deve-se tomar muito cuidado quase se lida com vermes de fogo!


Como os vermes de fogo chegam no nosso aquário e como eles rapidamente se multiplicam?


Os vermes de fogo chegam nos aquários pelas rochas vivas e também pela água que contenha suas larvas e/ou ovos fertilizados. É preciso tomar cuidado com a origem de tudo que se coloca no seu aquário porque uma muda de coral numa pedrinha, mesmo que não tenha um verme de fogo, pode ter alguma larva ou ovo que em algum tempo irá povoar rapidamente o aquário.


Agora, o que faz acontecer as explosões populacionais dos vermes de fogo no aquário é a sua capacidade de se fragmentar e se regenerar! Dessa forma em pouco tempo um único verme de fogo pode se transformar em dezenas e causar um grande problema.


Como controlar os vermes de fogo no aquário


Os vermes de fogo são um dos animais mais adaptáveis do ambiente marinho. Eles sobrevivem a grandes variações de temperatura e salinidade, além de poderem se regenerar. Eles também podem sobreviver fora d´águas entocados nas pedras por dias o que faz com que o combate seja quase uma guerra permanente.


Existem duas formas de controlar o verme de fogo no aquário: por meio de armadilhas e por controle biológico.


O uso de armadilhas é bastante simples, basta um recipiente e uma isca que pode ser ração, pedaço de peixe ou camarão.


A armadilha pode ser bem simples feita com garrafas ou mesmo elaboradas feita em acrílico.


Fabricamos armadilhas em acrílicos muito simples e eficientes que não capturam os paguros ou snails do aquário.  


O controle biológico funciona mantendo animais no aquário que se alimentem de vermes de fogo sendo os principais o camarão palhação, o caranguejo-aranha, os wrasses (principalmente o six line, o Halichoeris cyanocephalus e o Halichoeris radiatus). Algumas outras espécies como os pseudocromis, alguns gobbys e o Halichoeres maculipinna (esse nós temos em nosso aquário e consegue manter nosso aquário de 1000 litros com cerca de 300kg de rocha viva sem vermes de fogo aparente) ocasionalmente comem vermes de fogo também, embora não saiam caçando eles pelo aquário como os outros.


Sobre os wrasses nós temos aqui no Brasil o Halichoeris cyanocephalus e o Halichoeris radiatus que são ótimos caçadores de vermes de fogo e outros invertebrados indesejados. Esses peixes passam o dia revirando o substrato à caça desses animais.


Em aquários alguns desses peixes citados podem não comer vermes de fogo. É bem comum um comportamento alimentar diferente de acordo a vários fatores imprevisíveis, então é bom acompanhar para ver se estão comendo de fato e diminuir a ração pra ajudar a fazer com que esses peixes cacem os vermes de fogo.


É preciso tomar cuidado ao se pensar em colocar camarão palhaço e caranguejo-aranha no aquário. O camarão palhaço costuma comer camarões bailarinos e o caranguejo-aranha costuma comer, além do camarão bailarino, a equipe de limpeza.  


Conclusão


Embora muita gente tenha relatos de que os vermes de fogo não tenham atacado nenhum animal do aquário, é sempre um risco constante mantes esses invertebrados no aquário.


Os vermes de fogo só ficam “pacíficos” quando encontram uma grande quantidade de detritos à disposição, o que não é bom sinal para o aquário. Detritos em excesso podem desencadear um efeito em cadeia de microrganismos diversos como bactérias patogênicas e cianobactérias.


E pra finalizar, nem sempre o dia é do caçador, algumas raras vezes a caça se dá bem...


Referências e links interessantes

[1] Berlandi, Raquel Meihoub, Marcia A. de O. Figueiredo, and Paulo Cesar Paiva. "Rhodolith morphology and the diversity of polychaetes off the southeastern Brazilian coast." Journal of coastal research 28.1 (2011): 280-287.

[2] Rodrigues, Hilquias Andrade. "Ecologia alimentar de Hermodice carunculata (Pallas, 1776)(Polychaeta-Amphinomidae) em bancos de Carijoa riisei (Duchassaing & Michelotti, 1860)(Anthozoa-Clavuralidae)." (2007).

http://www.horta.uac.pt/Projectos/MSubmerso/old/200308/Hermodice.htm

http://www.wildsingapore.com/wildfacts/worm/polychaeta/chloeia.htm

http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/especies_ameacadas/invertebrados/sp_eurythoe_complanata.pdf

http://animaldiversity.org/accounts/Eurythoe_complanata/#geographic_range

http://marinebio.org/species.asp?id=292

Aquários Sobrinho 

Telefones: 27 33261100 - 27 993115626 - 31 982859240

email para orçamentos: angelolucas90@yahoo.com.br

email para fábrica: sobrinhoaquarios@gmail.com

Endereço: Rua Luiz Soares do Nascimento, 109, Ilha das Flores, Vila Velha -ES

CNPJ 26.049.716/0001-77