• Aquários Sobrinho

Teste de Amônia - Por que sempre fazer?

Amônia. Esse é o parâmetro mais falado no mundo do aquarismo, é o principal contaminante e é a fonte dos outros dois contaminantes: nitrito e nitrato. A amônia é proveniente da digestão dos peixes, do excesso de alimentação ou mesmo devido à decomposição de algum peixe morto ( que é o que costuma elevar o nível de amônia rapidamente). 


Cabe lembrar que a amônia é um composto fundamental para a vida e ela só é excretada diretamente pelos peixes porque há uma grande diluição na água dos lagos, rios e mares devido à quantidade de água disponível. Os animais terrestres excretam ureia ao invés de amônia. 


A amônia em contato com a água ioniza em parte ficando a amônia ionizada(NH4) e a amônia não ionizada(NH3). A Amônia não ionizada é muito mais tóxica que a amônia ionizada. A toxicidade da amônia depende da concentração da amônia, forma da amônia, fase de vida do peixe ( larvas e filhotes são muito mais sensíveis a amônia do que os adultos) do ph da água, do tempo de exposição  e também da temperatura, tanto que os testes levam em consideração alguns desses fatores ( temperatura e ph principalmente) . Quanto maior a temperatura e ph, mais tóxica é a amônia. Existem peixes muito sensíveis à amônia, como as acarás disco, e outros peixes muito resistentes, como os bagres africanos. Cabe lembrar que cerca de 80% da amônia se dissolve em água, o restante fica retido em particulados sólidos, assim sendo, mesmo com água cristalina, pode ter quantidades grandes de amônia. 


O parâmetro ideal de amônia é zero, sendo que até 0,1 ppm( parte por milhão, o mesmo que miligramas por litro) é tolerável, acima disso começa a intoxicar os peixes. Os fatores que podem provocar aumento de amônia são a filtragem inadequada, excesso de ração e superpopulação. 


Os efeitos da amônia no organismo dos peixes são muitos e com frequência levam à morte de milhares de peixes todos os anos nos aquários de todo o Brasil. A amônia entra pelas guelras no organismo e altera o ph do sangue, alterando assim todo o metabolismo do peixe. Os principais sintomas da intoxicação por amônia são a respiração ofegante, hiperatividade, perda de equilíbrio (os peixes nadam caindo de lado), inflamação das guelras, irritação dos tecidos externos, dos olhos e até mesmo aceleração do ritmo cardíaco. Em altas concentrações provoca morte.


Abaixo um vídeo de um peixe com sintomas prováveis de intoxicação por amônia, reparem o quão agitado e ofegante ele está.



A amônia geralmente é decomposta pelas bactérias nitrificantes em nitrito ou é absorvido diretamente pelas plantas. Sim, as plantas absorvem amônia, porém para utilizar apenas um filtro de plantas é necessário que ele seja muito grande em relação ao aquário para dar certo e utilizar plantas adequadas para esse fim. As algas também precisam de amônia e por isso também é importante manter seus níveis no mínimo.


Em caso de picos de amônia, é muito comum o uso de zeolita, um mineral natural, que é um adsorvente (mesmo modo de filtragem do carvão ativado) desse composto. Isso funciona muito bem, porém não é recomendável por demandar uma troca constante da zeolita saturada  e não contribuir para o equilíbrio biológico da mídia. Zeolita é vendida muitas vezes como areia de gato. Há também pontos negativos no uso da zeolita como a liberação de silicatos( favorecendo o crescimento de algas marrons). Falaremos mais sobre a zeolita num texto próprio.


O melhor para manter a amônia nos padrões adequados é usar filtragem biológica adequada para o aquário. Muitos aquários costumam apresentar pico de amônia lá pelo quarto mês de montagem e isso é devido à falta de manutenção no filtro. As bactérias nitrificantes chegam num equilíbrio onde praticamente a mesma quantidade de bactérias que nascem são as que morrem, assim o consumo da amônia é baixo. É importante retirar a sujeira dos filtros e mídias ao menos uma vez por mês para limpar o excesso de bactérias, que a maioria não consome amônia, e assim induzir um maior consumo para manter os padrões adequados. Não precisa lavar com bucha a mídia, apenas jogar água e tirar a sujeira. Pode ser água do mesmo aquário, água filtrada, água mineral ou até mesmo água da torneira. A concentração de Cloro da água da torneira é pequena e o tempo de exposição é tão curto que não é nocivo para a biologia( não demore mais que um minuto para lavar). 


A única forma de saber a capacidade de peixes do seu sistema é pelos testes de amônia. Coloque peixe por peixe e espere uma semana e monitore os testes, assim que o teste der além do limite, chegou na população máxima do seu aquário e filtro. Não se esqueça que os peixes crescem e assim aumentam a demanda de comida e a excreção de amônia. Isso tudo tem que ser levado em consideração. 


Assim, termina o primeiro e mais importante teste dos aquários, tanto de água doce como de água salgada. O próximo será o teste de nitrito, aguardem.

Aquários Sobrinho 

Telefones: 27 33261100 - 27 993115626 - 31 982859240

email para orçamentos: angelolucas90@yahoo.com.br

email para fábrica: sobrinhoaquarios@gmail.com

Endereço: Rua Luiz Soares do Nascimento, 109, Ilha das Flores, Vila Velha -ES

CNPJ 26.049.716/0001-77