• Aquários Sobrinho

O uso de areia como substrato em aquários e lagos

A areia é o substrato mais comum dos aquários de água doce, mas também bastante usado em lagos e até em aquários marinhos. Geralmente inerte, fácil de encontrar, possui diferentes cores e granulometrias para agradar todos os gostos dos aquaristas.

Por definição técnica areia é qualquer material entre 0,06 mm de diâmetro até 2mm de diâmetro originário da decomposição de rochas. A composição principal é de sílica (geralmente quartzo), mas pode ter outras composições como do granito, basalto ou outras rochas e minerais.


Em questão de cor, vai depender exclusivamente do gosto do aquarista para a escolha, mas a granulometria depende de algumas outras características do aquário como fauna e flora.

Caso o aquário possui um substrato fértil que deva ficar isolado por uma camada inerte, é aconselhável que a areia seja mais fina para fazer o devido isolamento e evitar uma contaminação da água do aquário com excesso de fertilizantes. Caso o aquário possua peixes com hábitos específicos de substrato, como os gobys e corydoras, é aconselhável respeitar essa necessidade.


Características Principais das Areias


O pH


O conceito de pH é muito simples, é a quantidade dos íons de Hidrogênio na água que a caracteriza como ácida, neutra ou alcalina. Só isso. Talvez por toda essa simplicidade que o pH tenha influência em muita coisa.


Veja aqui no nosso texto sobre a importância de se medir sempre o pH do seu aquário


Geralmente as areias não alteram o pH, mas pode ocorrer alguns poucos casos onde a areia é retirada de bancos onde a natureza depositou materiais calcários ou do mar, o que vai causar o aumento do pH.


A fertilidade


A areia devidamente lavada é inerte e não tem nenhum benefício fértil ao sistema. Quando se usa areia como substrato inerte, é preciso utilizar um substrato fértil para garantir os nutrientes para as plantas.


Os substratos férteis serão abordados em outros texto.


Granulometria


 É uma característica que pode apresentar problemas se não for antecipado o planejamento. Pode ocorrer suspensão da areia no aquário pelas bombas de circulação se for muito fina, pode haver acúmulo de detritos se for muito grosso, dificuldade para sifonar, endurecimento e compactação se não for uniforme (grosso misturado com fino).


Algumas espécies de peixes, como alguns peixes da família gobiidae e alguns ciclídeos, retiram alimento dos grãos de areia, então é importante considerar a granulometria adequada à fauna que se quer ter.

Os gobys passam horas remexendo o substrato que deve ser adequado a esse tipo de peixe


Não se deve usar uma areia que tenha grãos de diâmetro muito diferentes entre si. Se você utilizar substrato com granulometria diferente misturado pode acabar por isolar as camadas inferiores da superiores e isso pode causar uma zona anóxica que em algum momento pode ser extremamente prejudicial ao aquário. Use sempre substrato com grãos de tamanho próximos para aumentar a sua permeabilidade.


A imagem abaixo exemplifica o que dissemos sobre isolar as camadas inferiores do substrato. Os grãos menores e partículas de sujeira vão se acomodando entre os grãos maiores e reduzindo a permeabilidade. 


Veja como os grãos menores vão se alojando nos espaços entre os grãos maiores. Um substrato misturado pode acabar virando local para o desenvolvimento de microrganismos causadores de doenças.


Solubilidade


A areia em praticamente todos os casos não apresenta solubilidade nos aquários, com exceção da areia de praia devida aos grãos de conchas, corais e outros materiais calcários.


Presença de contaminantes


É preciso saber a origem e processo de extração/fabricação da areia, pois pode conter metais pesados, agrotóxicos e outros contaminantes químicos. Também pode conter contaminantes biológicos como parasitas e patógenos. 


Não é normal, mas muita gente acredita que o aparecimento de algas marrons nos aquários durante o começa seja comum e certo, mas isso só acontece se o substrato tiver contaminado com silicato. Substrato devidamente tratado ou de locais de boa qualidade não possuem silicato e não causa surgimento de algas marrons no aquário. Além de silicato os substratos podem conter nitrato, fosfato e matéria orgânica, todos fatores que contribuem para o surgimento de algas e cianobactérias.


Profundidade adequada


A profundidade adequada depende muito do tipo do aquário, mas não precisa passar de 5cm de altura na grande maioria das vezes. O substrato desempenha um papel insignificante na filtragem, tendo como principal função a estética ou como suporte de plantas ou como parte do ecossistema dos peixes.

Algumas espécies de ciclídeos ficam remexendo a areia em procura de alimento


Não se deve usar uma camada de areia muito profunda sob o risco de acumular muita sujeira ao longo do tempo e uma acidental remexida do substrato pode provocar um pico de amônia e outros contaminantes.


Abaixo seguem algumas dicas sobre os principais tipos de areia utilizadas no aquarismo. Alguns materiais como o basalto, mesmo que usados em forma de areia, terão um texto especial para eles.


Areia de filtro de piscina ou de filtro residencial/industrial


 As areis de filtro de piscina são amplamente usadas devido a sua facilidade de acesso, custo acessível e confiabilidade.

Algumas granulometrias encontradas em filtros de areia

A areia de filtro de piscina ou filtro residencial são encontradas em diversas granulometrias devido às diversas funções em diversos filtros. A coloração desse tipo de areia varia do marrom passando pelo amarelo e o branco.


A maior vantagem desse tipo de areia é que ela é basicamente composta por sílica, ou seja, não possui compostos que se dissolvem na água. Essa é uma necessidade para as funções que essa areia exerce nesse tipo de filtro.


  • pH: não altera o pH

  • Granulometria: pode ser encontrado de bem fina até grossa.

  • Solubilidade: inerte

  • Contaminantes: Não há presença de contaminantes.

Areia de rio


A areia de rio é uma areia como qualquer outra, mas pode estar exposta a contaminantes diversos, seja a compostos à base de nitrogênio (amônia, nitrito e nitrato), fosfatos, matéria orgânica ou mesmo com metais diversos.

Um rio sem população ou indústria perto provavelmente não vai ter contaminação por nitratos e fosfatos, mas ainda assim pode ter contaminação por metais dependendo da região. Aqui na região de Ouro preto –MG, a maioria dos corpos d’águas possuem um alto teor de ferro e manganês.

Mesmo que a areia esteja visivelmente limpa, ele pode estar impregnada dos contaminantes que existem na água.

  • pH: não altera o pH

  • Granulometria: pode ser encontrado de bem fina até grossa.

  • Solubilidade: inerte na maioria dos casos.

  • Contaminantes: Dependendo do local de origem.

Areia de construção


A areia de construção é a areia que tem mais preconceito pela parte das pessoas. Assim como a areia de rio, ela pode ser perfeita para o aquarismo como também pode apresentar diversos contaminantes.

Uma areia de construção retirada em lugar afastado pode ser excelente para aquarismo!

A origem da areia usada para construção é diversa, podendo ser de um rio, de um banco de areia, de duna ou até mesmo do mar (essa é ruim por uma série de fatores que serão explicados mais adiante e são ruins até para construção ).


Os principais problemas da areia de construção é pegar de um local contaminado ou ficar armazenada incorretamente. Muitos materiais de construção ficam abertos e cachorros acabam por urinar e defecar na areia, tornando ela imprópria para o uso em aquários.


Para escolher uma areia de construção, pergunte ao comerciante de onde a areia é retirada e veja se é adequada ao uso em aquários.


  • pH: Geralmente não altera o pH

  • Granulometria: pode ser encontrado de bem fina até grossa.

  • Solubilidade: geralmente inerte

  • Contaminantes: Depende do local de origem e das condições de armazenamento.

Areia de Praia


É muito comum as pessoas perguntando se pode usar areia de praia em aquário de marinho ou mesmo de água doce, mas em ambos os casos não são recomendados.


No caso do uso de areia de praia para aquários de água doce, mesmo que lave e retire todo o sal da água, ainda existiram inúmeros grãos de conchas e corais que irão aumentar o pH da água constantemente, o que será prejudicial para toda fauna. No caso do aquário de ciclídeos africanos, é muito melhor o uso de aragonita, pois tem um efeito no pH e nos minerais muito mais alto que a areia de praia pode ter. 

Vista em microscópio da areia do mar, veja a quantidade de conchas e outros materiais misturados com grãos de sílica e outros minerais

No caso do uso de areia de praia em aquários marinhos, ela não terá efeito no aumento do cálcio e da reserva alcalina como tem no aquário de água doce, então vai ser praticamente inerte nesse tipo de aquário. No aquário marinho a concentração de cálcio e carbonatos são centenas de vezes maior que num aquário de água doce. 


Pode-se usar areia de praia num aquário marinho, mas o uso de aragonita é incomparavelmente melhor devido à sua solubilidade e sua relação com os diversos pequenos animais desse ecossistema. Nos recifes de corais o substrato é formado basicamente de aragonita (pedaços de conchas e corais quebradas).


A areia de praia é a areia mais fácil de estar contaminada por nitrato e fosfato de todas, a poluição na nossa costa é notável em todos os centros urbanos. Locais mais afastados e praias “desertas” provavelmente fornecerão uma areia de excelente qualidade.


  • pH: aumenta o pH

  • Granulometria: pode ser encontrado de bem fina até grossa.

  • Solubilidade: Solubiliza a parte calcária.

  • Contaminantes: Geralmente há contaminantes se for retirada perto dos centros urbanos

Como tratar a areia para colocar no aquário?


Se você procurar na internet vai ver um monte de gente falando que tem que ferver, colocar cloro, colocar no sol, assar no forno e até coisas mais bizarras numa tentativa inútil de esterilizar a areia. Isso é completamente desnecessário na maioria dos casos.


O principal ponto de isso tudo ser desnecessário é que mesmo que consiga esterilizar todo o substrato, o próprio ar e água do aquário já vão ter uma série de microrganismos diversos, inclusive patogênicos, ou seja, trabalho à toa. O que vai definir se o peixe vai adoecer ou não, é a defesa orgânica do peixe que se estiver em condições adequadas não vai adoecer. Peixes estressados adoecem muito mais fácil que um peixe não estressado.  Muita gente não sabe, mas todo aquário, principalmente concentrado nos filtros, há uma grande quantidade de bactérias que causam doenças.


Veja mais no nosso texto sobre a microbiologia dos aquários!


Para utilizar a areia no seu aquário basta lavar bastante apenas com água para remover a terra e partículas finas que costumam ficar suspensas na água. É um processo trabalhoso e que muitas vezes chega a perder até 50% da quantidade inicial de areia. Quem comprou areia de filtro de piscina sabe do que nós estamos falando.


Caso você não lave adequadamente a areia, pode ocorrer de a água do aquário ficar suja por muito tempo.


Terminamos esse texto tentando mostrar o quanto é simples encontrar uma boa areia sem pagar um preço muito alto. A preocupação maior é sempre com os possíveis contaminantes que possam vir. Na dúvida lave a areia e faça os testes apropriados. 

Aquários Sobrinho 

Telefones: 27 33261100 - 27 993115626 - 31 982859240

email para orçamentos: angelolucas90@yahoo.com.br

email para fábrica: sobrinhoaquarios@gmail.com

Endereço: Rua Luiz Soares do Nascimento, 109, Ilha das Flores, Vila Velha -ES

CNPJ 26.049.716/0001-77