• Aquários Sobrinho

Cuidado Com o Choque Osmótico no Seu Aquário

Durante os textos dos testes a palavra que mais apareceu em todos eles foi a osmorregulação e é um assunto que merece atenção especial e um texto próprio.

A osmose nos peixes é a mesma que as pessoas estudam no ensino médio nas aulas de química que diz que é a transferência de líquido de um meio menos concentrado para um meio mais concentrado com tendência a igualar a concentração de íons desses meios. Nos aquários de água doce o meio menos concentrado é a água do aquário e o mais concentrado é o sangue do peixe. Nos aquários de água salgada o meio mais concentrado é a água do aquário e o menos concentrado é o sangue do peixe. A membrana que separa os dois meios são os tecidos externos dos peixes, mas o fator mais importante são as guelras que possuem uma superfície de contato que chega a ser até 60 vezes maior que a pele do peixe.


Nos peixes de água doce há uma constante absorção de água pelo peixe e devido a isso ele não bebe água. Para controlar esse excesso de água, os peixes de água doce liberam uma grande quantidade de urina altamente diluída durante todo o dia e noite. A quantidade de urina diária produzida por um peixe de água doce pode chegar até 30% do seu peso total, uma quantidade assustadora.

Nos peixes de água salgada o peixe está sempre perdendo água para o meio e por isso ele sempre está bebendo água do mar. Um ponto importante é que junto com a água do mar vem uma quantidade muito grande de sais, então o peixe filtra alguns sais e elimina pouca urina altamente concentrada com grande quantidade de sais. Os peixes marinhos também secretam sais pelas guelras para controle dos íons no sangue.

Assim, quando um peixe de água doce está em uma água com salinidade maior que a ideal, ele acaba perdendo mais água para o meio do que seu corpo precisa. Quando um peixe de água doce está em uma água com salinidade mais baixa do que o ideal ele acaba acumulando mais água no organismo do que precisa. O mesmo acontece nos peixes de água salgada. Quando um peixe de água salgada está numa água com salinidade maior do que a ideal ele perde mais água do que consegue absorver e quando está numa água com salinidade menor que a ideal ele acumula mais água do que consegue eliminar. Cada peixe tem a sua faixa de salinidade ideal e tolerável, além desse limite causa sérios problemas.


Quando um peixe está em uma água com sais inadequados para ele, há uma alteração negativa no seu metabolismo. Quando o peixe está em uma água com concentração de íons menor do que deveria, os efeitos negativos são mais intensos do que se estivessem em uma água com excesso de íons.

A célula animal pode até se romper dependendo da salinidade do meio. 


Então, a osmorregulação é apenas isso, o movimento da água de um meio mais concentrado pata o menos concentrado a fim de manter o bom funcionamento do metabolismo nos peixes.


Como se os problemas de osmorregulação não fossem suficientes, há um sério risco do choque osmótico.


O choque osmótico acontece quando, repentinamente, há uma variação dos íons na água. Esse choque pode acontecer quando o peixe é comprado, é trocado de aquário, quando se dá um banho de sal ou até mesmo após uma TPA com água com características diferentes da do aquário. Um peixe demora em média de 2 a 3 dias para adaptar seu organismo a uma pequena variação de salinidade sem sofrer danos, mas se a variação for muito intensa pode causar sérios problemas. Os menores efeitos que podem acontecer é a perda da mucosa que protege o peixe, facilitando o ataque de doenças e parasitas. Quando o choque osmótico é muito grave, pode ocorrer o rompimento ou fissura dos tecidos, ocasionando ferimentos físicos e perda de pedaços de tecidos e morte. É preciso lembrar que todos os ferimentos podem causar efeitos secundários como inflamações, problemas de osmorregulação, etc.


Além de tudo isso, há também o fator do equilíbrio iônico na salinidade da água. Como foi dito, quais íons que compõem a salinidade não importam no efeito da osmorregulação, porém os peixes precisam que os íons estejam nas proporções corretas para que eles possuem usar em seus metabolismos. Por isso foi preciso mencionar todos os testes para falar da osmose, pois eles influenciam grandemente nisso. Os elementos traços da água influenciam pouco na osmorregulação, porém possuem um grande impacto no equilíbrio iônico. Os peixes fazem uma troca intensa de íons entre a água e o seu corpo e cada íons tem uma função diferente no metabolismo.


Como já foi dito no nosso texto sobre salinidade, alguns peixes possuem um controle osmótico que o permitem sair direto da água salgada para a água doce, ou vice-versa, sem sofrer nenhum tipo de dano devido à sua capacidade de osmorregulação. Como exemplo para esses peixes temos alguns tubarões, os robalos e vários outros peixes de estuários. Esses peixes possuem o seu metabolismo adaptado para isso.


Veja um documentário em inglês sobre tubarões no Rio Mississipi:



Aquários Sobrinho 

Telefones: 27 33261100 - 27 993115626 - 31 982859240

email para orçamentos: angelolucas90@yahoo.com.br

email para fábrica: sobrinhoaquarios@gmail.com

Endereço: Rua Luiz Soares do Nascimento, 109, Ilha das Flores, Vila Velha -ES

CNPJ 26.049.716/0001-77